Certas PalavrasPublicação de Marco Neves sobre línguas e outras viagens

Quais são as línguas da União Europeia?

Neste dia em que elegemos os nossos eurodeputados [esta foi a minha crónica de domingo no Sapo 24…], vamos dar uma volta pelas línguas faladas no Parlamento Europeu.

A União Europeia tem 24 línguas oficiais — parecem muitas, mas são apenas uma parcela das línguas realmente faladas pelos europeus.

Enfim, concentremo-nos, por agora, nesses 24 idiomas. Estão escondidos nos nossos bolsos. Quer ver?

Pegue numa nota de 50 euros — as notas de 5, 10 ou 20 também servem, embora falte lá pelo meio uma das línguas. Agora, olhe para aquela linha, à esquerda, onde está uma série de 10 siglas.

Como é possível representar 24 línguas com 10 siglas? Enfim: temos de as enfiar em cima umas das outras…

Vá pelos seus dedos e comece na primeira sigla:

  1. BCE

Logo ali no primeiro lugar, temos a nossa língua! «Banco Central Europeu». Enfim, na verdade o português está em primeiro lugar a reboque do francês. Explico: a ordem das siglas segue a ordem alfabética dos países na sua língua oficial. Ora, o primeiro país é a Bélgica.

Temos logo um problema, pois a Bélgica tem duas línguas principais: o francês e o neerlandês. Enfim, de alguma maneira as duas línguas foram ordenadas e o francês ficou em primeiro lugar.

A reboque do francês, e porque mais de 1500 anos de separação ainda nos deixaram as línguas bem próximas, as línguas latinas ficam todas representadas por esta primeira sigla. O francês, mas também o castelhano, o português, o italiano, o romeno (e porque não o catalão, o galego e mais umas quantas línguas latinas escondidas nos países da Europa)?

Ah! Surpresa das surpresas: o irlandês, uma língua muito pouco latina, também fica compactada no primeiro «BCE». Nessa língua, o nome do banco é «Banc Ceannais Eorpach». É, das línguas oficiais da União, uma das menos faladas. No entanto, na Irlanda, é oficialmente superior ao inglês — tanto que o título usado pelo primeiro-ministro do país é em irlandês, mesmo em textos ingleses: «Taoiseach».

  1. ECB

Ora, como o primeiro país da lista alfabética é a Bélgica, a segunda sigla será ainda a sigla numa das línguas principais desse país. Assim, temos o neerlandês: «Europese Centrale Bank».

As famílias linguísticas são muito unidas, já se viu. Aqui temos representadas as línguas germânicas da União: o neerlandês, o inglês, o dinamarquês e o sueco. Por arrasto, também aqui ficam guardadas algumas línguas eslavas (o checo, o esloveno e o eslovaco) e ainda o letão e o lituano.

Disse «línguas germânicas»? Bem, nem todas: o alemão, por exemplo, ainda não apareceu…

  1. ЕЦБ

A terceira sigla apresenta-nos outro alfabeto: o cirílico. A segunda letra é, habitualmente, transliterada como «c» e a última como «b». No nosso alfabeto, esta sigla seria «ECB».

  1. EZB

O inglês é a língua estrangeira mais aprendida na Europa, mas a língua materna mais comum é mesmo o alemão. Pois bem, esta sigla de três letras representa duas palavras: «Europäische Zentralbank».

  1. EKP

Até agora, as siglas representam várias línguas de famílias (as línguas latinas, as línguas germânicas, as línguas eslavas) — ora, todas estas famílias fazem parte da grande família indo-europeia. Todas têm origem numa língua falada há uns 5000 anos — língua que hoje chamamos proto-indo-europeu.

Pois bem: há algumas línguas europeias que não têm origem nessa língua. Duas delas são o finlandês e o estónio. São línguas isoladas dos vizinhos, mas bem próximas uma da outra.

Em finlandês, o banco chama-se «Euroopan keskuspankki» e em estónio «Euroopa Keskpank».

  1. ΕΚΤ

Sei que não parece, mas esta sigla está noutro alfabeto: o grego. O nome do banco nessa língua é «Ευρωπαϊκή Κεντρική Τράπεζα».

Não será fácil ler para quem não conhece. A transliteração é algo como «Evropaïkí Kentrikí Trápeza».

O significado é fácil de saber qual é…

  1. ESB

A mais recente adição às siglas do banco. Tão recente que nem aparece nas notas de 5, 10 e 20… Falo do croata, língua em que o banco tem o nome «Europska središnja banka». (Note-se, já agora, que algumas línguas exigem maiúsculas nas várias palavras do nome, enquanto outras preferem reservar a maiúscula para o primeiro nome. As siglas, essas, são sempre em maiúsculas, claro.)

  1. EKB

Não é só o finlandês e o estónio que são línguas não-indo-europeias. Também o húngaro é bem distante das outras línguas do continente.

Nessa bela língua centro-europeia o nome do banco é «Európai Központi Bank».

  1. BĊE

Há uma ilha no Mediterrâneo onde se fala uma língua semítica, aparentada com o árabe — e com muito léxico italiano. Falo de Malta. O maltês é outra das línguas não-indo-europeias da Europa. Apesar disso, a sigla é bem parecida com a sigla das línguas latinas, mas tem ali uma pinta por cima do «C». O som desta letra pintada é «tch».

É curioso saber que a língua não tem nenhum «C» sem pinta. É estranho? Ora, nós também temos uma letra que leva sempre uma pinta, pelo menos na sua versão minúscula: o «i».

  1. EBC

Por fim, temos uma língua eslava que ficou com um lugar só para si. O polaco: «Europejski Bank Centralny».

São muitas línguas… E, no entanto, faltam algumas, como disse no início. Basta olhar para Espanha, onde há mais línguas oficiais para lá do castelhano.

Pois bem: o catalão e o galego ficam representados pelo primeiro «BCE». Falta uma língua. Muito antes de aparecerem os tais indo-europeus, já se falava uma língua que não está na nota, mas é europeia há milénios. Falo do basco. Em honra desse velho idioma, deixo aqui a sigla do nome do banco em certos vales dos Pirenéus: «EBZ».

Depois desta volta pelos meandros dos nossos bolsos europeus, vamos lá então votar!

(As informações deste texto já tinham aparecido anteriormente noutro artigo deste blogue.)

RECEBA NOVOS ARTIGOS

Autor
Marco Neves

Tradutor na Eurologos, professor na Universidade Nova de Lisboa e autor da Gramática para Todos.

Comentar

1 comentário
Certas Palavras
Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia