Categories
Línguas do mundo Português

Galego: uma língua invisível (e um pouco de Tetris)

É já na sexta-feira: no Centro Cultural Galego, em Lisboa, vou falar sobre o «Galego: língua invisível». Comigo vai estar José Ramom Pichel, que irá falar sobre a «Galiza, essa peça de Tetris linguístico». Fomos convidados pelo Centro de Estudos Galegos da FCSH/NOVA.

Se os títulos parecem estranhos (língua invisível? Tetris?), têm uma solução: apareçam por lá, ali perto do Campo dos Mártires da Pátria.

Acho que não se vão arrepender.

Quando? Sexta-feira, 4 de Março, às 19h00.
Onde?
Centro Cultural Galego, Rua Júlio de Andrade, 3 (perto do Campo dos Mártires da Pátria).

desencontros-página001 (1)

Receba os próximos artigos

Marco Neves

2 comentários

Boa tarde,

que curioso encontrar este artigo neste blog que tantas vezes visito. Curioso porquê? Porque hoje mesmo estive a explorar a página do Centro Cultural Galego e dei-me conta desta sessão. Daria tudo por estar disponível e dirigir-me àquele belo edifício perto do miradouro do Torel, mas eu próprio estarei a dar uma espécie de conferência e isto entra em conflito.

O galego é um objecto de estudo interessantíssimo para o qual só despertei há pouquíssimos meses, e queria inserir este tipo de eventos na minha agenda pessoal. Nesse âmbito, gostaria de lhe fazer duas perguntas, às quais provavelmente saberá dar resposta:

1. Conhece algum livro sobre a língua galega que valha a pena? Não me refiro exclusivamente a livros para aprender galego, mas até mais livros SOBRE a realidade linguística da Galiza;

2. Conhece alguma entidade em Lisboa, relacionada com a Galiza, onde aceitem voluntários com muita vontade de aprender mais sobre este tema?

Agradeço-lhe muito e que corra tudo bem na sexta-feira!

Caro João,

Muito obrigado pelo comentário!

Em relação às perguntas:

1. Neste momento, estou a terminar de ler o livro O Galego (Im)possível, de Valentim Fagim. É um livro que explica muito bem a situação e enquadra-a no desenvolvimento da cultura galega, comparando a situação sócio-linguística com outras situações (Catalunha, Quebeque, Suíça, Bélgica, etc.). É mesmo muito interessante. Convém saber que o autor defende o reintegracionismo galego, ou seja, a defesa da aproximação do galego ao português, considerando-os como uma só língua. Pode encontrar o livro aqui: http://www.atraves-editora.com/o-galego-impossivel-ainda-mais-de-valentim-r-fagim/

(Já agora, e publicidade à parte, a Guerra & Paz vai publicar em Abril um livro meu com o título Doze Segredos da Língua Portuguesa, em que dedico um capítulo ao galego e à sua relação com o português.)

2. O Centro de Estudos Galegos da FCSH/NOVA tem várias actividades e cursos para todos os interessados na cultura galega. Os contactos estão aqui: http://ceg.fcsh.unl.pt/site/contactos.asp.

Espero que um dia destes nos possamos encontrar numa destas conferências e falar um pouco.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *