Certas PalavrasPublicação de Marco Neves sobre línguas e outras viagens

Leituras sobre línguas

(Em construção.)
Sobre o português
  1. A Nova Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra é incontornável. Há gramáticas mais actuais, é certo, mas esta obra é um clássico da própria língua. Alguns leitores estranharão a referência: afinal, esta gramática assume-se como normativa. No entanto, nada tenho contra as boas tentativas de estabelecer a norma, desde que se fundem no uso concreto — neste caso, os autores olham para as obras literárias — e não em ideias desligadas da língua real. Esta gramática é ainda uma prova de como o discurso sobre a língua, quando bem pensado, é muito mais interessando do que uma lista de erros avulsos.
  2. Há uma gramática descritiva publicada pela Gulbenkian (organizada por Eduardo Buzaglo Paiva Raposo et al.) com o título Gramática do Português. Já foram publicados dois volumes.
  3. Um pouco mais antiga, convém referir a Gramática da Língua Portuguesa de Maria Helena Mira Mateus.
  4. Um bom livro sobre as mudanças linguísticas é Áreas Críticas da Língua Portuguesa, de João Andrade Peres e Telmo Móia.
Sobre a variação linguística
  1. Nenhuma língua é falada da mesma forma por todos os falantes a todo o momento. Sobre a relação complexa entre norma e variação, o leitor pode começar pelo livro Norma e Variação, de Maria Helena Mira Mateus e Esperança Cardeira.
  2. Um bom livro para perceber como isto é inevitável (e saudável) e como estas mudanças têm mecanismos complexos de que os falantes não se apercebem conscientemente — e como dificilmente as mudanças podem provocar problemas de comunicação, ao contrário do que se julga — é o denso e saboroso The Unfolding of Language, de Guy Deutscher.
  3. Um autor que também explica — talvez de forma mais leve e divertida — os mesmos fenómenos é John McWhorter, por exemplo no seu livro Words On The Move. A mudança existe e é inevitável não porque eu digo ou é giro declarar “a língua muda!” Há razões biológicas para isso.
  4. Curiosamente, os dois autores têm posições distintas numa outra questão — a da relação entre língua e pensamento — e as duas obras que escreveram sobre o tema também valem bem a pena: Through The Language Glass, de Deutscher, e The Language Hoax, de McWhorter.
  5. Em relação a este último tema, um excelente livro é The Stuff of Thought, de Steven Pinker, um livro empolgante, que nos dá a conhecer a nossa própria mente. Haverá tema mais interessante?
  6. Um outro excelente livro que li há muito pouco tempo é You Are What You Speak, de Robert Lane Greene. O livro olha para a linguagem humana e para as suas ligações profundas com a nossa identidade — ficamos a perceber por que razão levamos tão a sério estas questões dos erros falsos e caímos tão facilmente nos mitos da língua.
  7. Quem gosta de rir às gargalhadas pode muito bem optar pelo livro Far from the Madding Gerund, de Mark Liberman e Geoffrey K. Pullum, linguistas muito respeitados e fundadores do excelente blogue Language Log.
Sobre escrita
  1. Um livro recente e muito bem escrito sobre a boa escrita é Quem Disser o Contrário É porque Tem Razão, de Mário de Carvalho. Mesmo que uma pessoa não queira escrever nada na vida, vale bem a pena ler o livro.
Certas Palavras
Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia