Certas PalavrasPublicação de Marco Neves sobre línguas e outras viagens

Por que raio todos falam lisboeta nas telenovelas?

Há pouco pus-me a fazer zapping pelos canais nacionais e vi umas quantas cenas de duas telenovelas: Bem-vindos a Beirais e Coração d’Ouro. 

A primeira (que não é bem uma telenovela, mas isso agora não interessa nada) passa-se numa aldeia que presumo ser na zona Oeste (a aldeia onde se filma a série é na zona Oeste, pelo menos).

Já a segunda, tem como cenários o Porto e o Douro (pelo menos a julgar pelo genérico.

Ora, curiosamente, todas as personagens falam como falam os actores lisboetas… (Pelo menos, as que tive tempo de ouvir…)

Sei que é difícil, mas se há esforço de caracterização nas roupas, nas ruas, e por aí fora — porque não na língua?

Não fui investigar, mas dá-me a sensação que os únicos sotaques que aparecem na ficção nacional são os vários «lisboetas» (linha de Cascais, Alfama, padrão, etc.) e o alentejano.

Tudo o resto leva com o sotaque indistinto, baseado no que se fala em Lisboa (mas sem «treuzes» e outros que tais).

Nada contra o uso da pronúncia padrão nos telejornais e outros programas, mas na ficção, por que razão não se usam os outros sotaques deste país?

Será que os actores nunca pensaram nisto ou acham que é sua obrigação ensinar o país a «falar bem» (como se falar com outros sotaques fosse um defeito)?

A forma como falamos é extraordinariamente interessante — a maneira como se fala na Foz (no Porto) é diferente da maneira como se fala noutras zonas (ou ambientes sociais) da mesma cidade — e isto multiplica-se por todos os recantos de Portugal, capital incluída.

Os autores têm uma ferramenta de «pintura social» por explorar e os actores têm aqui um desafio à altura dos melhores da sua profissão.

Autor
Marco Neves

Tradutor na Eurologos, professor na Universidade Nova de Lisboa e autor da Gramática para Todos.

Comentar

4 comentários
  • A razão assentará na realização e no facto dos actores, nem todos, serem inexperientes e falta dos conhecimentos profissionais que são ministrados nas escolas Representação Teatral;, no fundo todos empíricos.

  • Hoje calhou passar pelo Coração d’Ouro e vejo a Rita Blanco a falar com um sotaque carregado do Norte. Das duas, uma: ou bem que eu ouvi mal da outra vez ou alguém recebeu o recado. Desconfio que a primeira hipótese é a verdadeira, mas não deixo de sorrir ao imaginar que a segunda não é impossível. Era giro…

    • Na realidade, desde o princípio dessa novela pelo menos quatro atores falam com uma pronúncia do “Puârto” bastante carregada: Rita Blanco, Luciana Abreu, José Raposo e Diogo Martins! 🙂

Certas Palavras
Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia