Certas PalavrasPágina de Marco Neves sobre línguas e outras viagens

Qual é a origem da palavra «ilha»?

Quando pensamos em ilhas, imaginamos viagens e aventuras. Qual terá sido a viagem que a palavra fez até chegar ao português?

A palavra portuguesa parece ter vindo do latim, mas por um caminho particular: a palavra «insula» acabou no catalão «illa» (plural «illes», como em «Illes Balears»), saltou a península, e aterrou no galego e no português.

Porque importámos esta palavra do catalão? Não sabemos bem… O catalão foi muito importante na Idade Média, como língua principal de Barcelona e da Coroa de Aragão, e ouviu-se em muitas ilhas do Mediterrâneo — ainda se ouve, aliás, na Sardenha, para não falar das Ilhas Baleares, claro está. Mas como veio esta palavra parar precisamente ao lado da península que não está virado para o Mediterrâneo, a esta língua que vem lá do Noroeste? As histórias das palavras são assim, cheias de aventuras que se adivinham, mas cujo enredo se perdeu no ar em que as palavras se dispersam, quando não as escrevemos.

Por um caminho mais directo, sem sair da boca dos falantes aqui a ocidente da península, a mesma palavra latina veio a dar «ínsua», com a habitual queda do [l] intervocálico — uma palavra que associamos a ilhas de rio.

A palavra «ilha» continuou a viagem para outras línguas — e ouve-se, por exemplo, em cabo-verdiano, onde ilha é «ilha». O cabo-verdiano é bem diferente do português, principalmente na gramática, mas tem muitas palavras parecidas. Enfim, se as pessoas às vezes se isolam (isolar é tornar ilha), as línguas, essas, não são ilhas e raramente deixam de receber e oferecer palavras.

*

Na semana passada, na minha primeira viagem para fora de Portugal desde o início da pandemia, fui a Cabo Verde, para participar nas III Jornadas de Língua Portuguesa do Mindelo, organizadas pela incansável Prof.ª Sofia Santos, do Instituto Camões. Falámos muito sobre o português e estive muito atento para saber um pouco mais sobre o cabo-verdiano. Contarei mais noutra altura; hoje queria apenas agradecer a recepção no Mindelo, na ilha de São Vicente, dedicando à prof.ª Sofia e a todas as pessoas que assistiram às sessões onde estive — alunos e professores — este pequeno texto sobre «ilha». Muito obrigado!

Deixo ainda alguns artigos em que escrevi sobre o cabo-verdiano e outras línguas crioulas (e ainda um vídeo):

Receba os próximos artigos


Autor
Marco Neves

Professor na NOVA FCSH, tradutor na Eurologos e autor de livros sobre línguas e tradução.

Comentar

1 comentário
  • Fico surpreendida com tantas palavras parecidas entre o português e o catalão.
    Porque dizemos “bom dia” com um som igual ao do catalão? Na série “Merlí” na RTP2, passada numa escola secundária em Barcelona, a cada passo aparece uma palavra que nos parece portuguesa.
    Não foram os mares, durante séculos, as grandes auto-estradas? Era tão mais fácil chegar a muitos lugares por mar do que por terra! Assim, a vinda pelos mares, e depois pelos rios acima, não ajuda a explicar estas semelhanças?

Certas Palavras

Autor

Marco Neves

Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia