Certas PalavrasPágina de Marco Neves sobre línguas e outras viagens

Dez palavras inglesas de origem portuguesa

Todos sabemos quantas palavras andamos a roubar aos ingleses — mas hoje deu-me para virar o jogo ao contrário: então e que palavras demos nós à língua deles?

Ainda são algumas — embora, na verdade, não tenhamos exportado assim tantas nos últimos tempos. Foi na época em que portugueses e ingleses andavam aos encontrões pelo mundo que o inglês nos veio cá buscar muitas palavras.

Não é nada de admirar: o inglês é língua sem grande pudor em engolir palavras de todos os idiomas que encontra pelo caminho — e de lhes deixar em troca muitas mais, como sabemos.

Escolhi dez, só como exemplo…

Versão áudio

1. Auto-da-fé

Sabemos que, nisto da (pouco) Santa Inquisição, os espanhóis ficaram com a primazia — não é em vão que se tem um Torquemada. Aliás, a definição no dicionário onde fui verificar esta palavra é clara: o auto-da-fé é a «queima de heréticos pela Inquisição espanhola».

No entanto, a palavra inglesa para designar esses lúgubres espectáculos de queima pública de condenados veio mesmo do português…

2. Banana

A palavra veio de África, provavelmente da língua uolofe (na zona do actual Senegal), passou pelo português e acabou no inglês.

Há ainda quem diga que foi o castelhano a língua que fez de ponte — mas, se for o caso, o castelhano acabou por perder a palavra, já que hoje o nome da banana é «plátano» em terras castelhanas (ou melhor, acabou por usar com um significado mais restrito, sem a perder, pois como alguns leitores me explicaram, o plátano castelhano aplica-se às bananas das ilhas).

3. Fetish

Quem diria?… O «fetish» inglês veio do «fétiche» francês — que por sua vez veio do «feitiço» português!

Curiosamente, o «fétiche» francês foi devolvido à proveniência portuguesa, com outro significado…

Digamos que esta é uma palavra bem portuguesa que emigrou para a França e voltou com sotaque — e, entretanto, teve um filho que foi viver para Inglaterra… São bem vividas, as palavras!

4. Creole

Esta palavra começou no português «crioulo», passou pelo castelhano e pelo francês e acabou no inglês.

A sua origem está relacionada com o verbo «criar» e com o termo «criado».

5. Marmalade

Pois oferecemos a palavra «marmelada» aos ingleses…

A nossa palavra é baseada no «marmelo» — e, como nestas coisas ninguém parece inventar nada, fomos buscar esse nome ao grego: «melímelon» (diz a Infopédia).

A “marmalade” inglesa não é a nossa marmelada — mas as palavras têm os seus próprios caminhos, diferentes dos caminhos daquilo que acabam por representar.

6. Mosquito

No fundo, é uma pequena mosca, um mosquito, e assim ficou em português, em inglês – e em espanhol…

Diga-se que há muitas palavras cuja origem ibérica se torna difusa: tanto podem ser de origem portuguesa como espanhola.

Aqui, aquele «ito» no fim faz-me desconfiar dum certo sabor castelhano. Mas os dicionários ingleses dizem que veio do espanhol e do português — quem sou eu para duvidar?

7. Palaver

A palavra inglesa para «palavreado» vem da nossa palavra para «palavra» (e assim criei uma espécie de trava-línguas).

Será que os ingleses nos achavam muito palavrosos? Talvez. Não faz mal: é curioso ver a nossa «palavra» assim transfigurada…

8. Sargasso

A palavra para «sargaço», em inglês, é «sargasso» — isto das cedilhas não é com os ingleses.

Uma confissão: a palavra faz-me sempre sonhar com o título Wide Sargasso Sea, de Jean Rhys…

9. Verandah

Neste caso, a língua inglesa copiou a nossa palavra, mas deu-lhe um twist: a «verandah» inglesa é o nosso alpendre.

Não faz mal: as palavras viajam e, pelo caminho, mudam de personalidade. Acontece a todos!

Curiosamente, esta palavra passou pela Índia antes de chegar ao inglês. Terá sido importada pelo hindi a partir do português e, depois, passou ao inglês. Há quem defenda que existia independentemente em português e em hindi — nesse caso, a palavra inglesa nada teria que ver com o português.

10. Zebra

A nossa amiga zebra é portuguesa, dizem. Quer dizer, não será portuguesa, que por cá não há assim tantos exemplares da espécie, mas o nome que os ingleses lhe dão veio da nossa língua, que andou por aí a explorar o mundo e a descobrir animais…

Já agora, uma boa fonte para a etimologia das palavras inglesas é o Online Etymology Dictionary.

(Nova versão de texto publicado anteriormente nesta página.)

RECEBA OS PRÓXIMOS ARTIGOS

Autor
Marco Neves

Professor na NOVA FCSH, tradutor na Eurologos e autor de livros sobre línguas e tradução.

Comentar

1 comentário
  • É verdade que não temos muitos exemplares da Zebra em Portugal. Contudo, em tempos, existiu na Península Ibérica um equídeo selvagem de pêlo listado ao qual os nossos antepassados chamavam de “Zebro”.
    Nomes de alguns locais, tais como “Vale de Zebro”; “Ribeira de Zebro”; “Zebreira”; “Zebral” e “Zebraínho” serão ainda herança de tal existência – agora extinta.
    De notar que o equivalente em castelhano seria “Encebra”.
    Segundo este site terão sido os portugueses que, ao chegar ao litoral sul africano e ao se depararem com semelhante animal o terão baptizado dessa forma.
    Ver mais em:
    https://angelcarrascosotos.blogspot.com/2014/09/el-zebro-un-asno-salvaje-extinto-habria.html

Certas Palavras

Autor

Marco Neves

Blogs do Ano - Nomeado Política, Educação e Economia